Derrick Rose (lembram dele?) voltou e está treinando lá com a seleção dos EUA pro Mundial da Fiba.

Convenhamos, saudável, é um ótimo reforço pros EUA e, claro pro Chicago Bulls.

LeBron perguntou pra galera e, agora, decidiu: vai usar o número 23 no retorno ao Cleveland Cavaliers.
Gostaram?

LeBron perguntou pra galera e, agora, decidiu: vai usar o número 23 no retorno ao Cleveland Cavaliers.

Gostaram?

Você tem a certeza de que Kobe Bryant está ficando velho quando o Los Angeles Lakers anuncia Byron Scott como novo técnico da franquia.
Byron Scott, que não é mais nenhum novato na função de treinador (já passou por New Jersey Nets, New Orleans Hornets e Cleveland Cavaliers), jogou com Kobe no Lakers, no já longínquo ano de 1997.

Você tem a certeza de que Kobe Bryant está ficando velho quando o Los Angeles Lakers anuncia Byron Scott como novo técnico da franquia.

Byron Scott, que não é mais nenhum novato na função de treinador (já passou por New Jersey Nets, New Orleans Hornets e Cleveland Cavaliers), jogou com Kobe no Lakers, no já longínquo ano de 1997.

NBA source: Ray Allen leaning toward returning — with Cavaliers - The Boston Globe ?

O senhor chutador de 3pts não tem vergonha não? Vira homi e se aposenta!

E se a carta do Lebron voltando pra Cleveland fosse lida pelo Morgan Freeman?

Certa vez, Karl Malone - o aniversariante do dia - fez isso aqui com Michael Jordan.
Quase dez anos depois, veio o troco. E de um jeito muito mais elegante.
Domingo, primeiro jogo das finais da NBA de 1997. Chicago Bulls, de Michael Jordan, contra Utah Jazz, de Karl Malone. Dez segundos pra acabar o jogo. Placar empatado. Karl Malone sofre falta e vai pra linha do lance livre. Para um jogador do seu tamanho, os quase 75% de aproveitamento em lance livre na carreira não é ruim. Mas Malone erra os dois. Jordan pega o rebote, pede tempo e, bom, daqui pra frente é melhor ver o vídeo mesmo.
O fato engraçado desse lance é que, anos depois, Scottie Pippen contou que antes dos lances livres, disse pra Jordan ir lá pegar o rebote porque Malone ia errar, afinal carteiros não trabalham de domingo (o apelido de Karl Malone era “o carteiro”, por sempre entregar a bola ao seu destino correto: a cesta).
Pelo visto, Malone aceitou bem essa história toda. Pelo menos no que diz respeito à brincadeira de Scottie Pippen. Outro dia, disse que Pippen foi um dos três maiores jogadores da história da NBA. Mas é importante frisar que não dá pra levar essa declaração muito a sério. Afinal, logo depois Malone disse que Jordan não faz parte do seu quinteto ideal, que, pra ele, conta com John Stockton, Oscar Robertson, Pippen, LeBron James e Wilt Chamberlain.

Certa vez, Karl Malone - o aniversariante do dia - fez isso aqui com Michael Jordan.

Quase dez anos depois, veio o troco. E de um jeito muito mais elegante.

Domingo, primeiro jogo das finais da NBA de 1997. Chicago Bulls, de Michael Jordan, contra Utah Jazz, de Karl Malone. Dez segundos pra acabar o jogo. Placar empatado. Karl Malone sofre falta e vai pra linha do lance livre. Para um jogador do seu tamanho, os quase 75% de aproveitamento em lance livre na carreira não é ruim. Mas Malone erra os dois. Jordan pega o rebote, pede tempo e, bom, daqui pra frente é melhor ver o vídeo mesmo.

O fato engraçado desse lance é que, anos depois, Scottie Pippen contou que antes dos lances livres, disse pra Jordan ir lá pegar o rebote porque Malone ia errar, afinal carteiros não trabalham de domingo (o apelido de Karl Malone era “o carteiro”, por sempre entregar a bola ao seu destino correto: a cesta).

Pelo visto, Malone aceitou bem essa história toda. Pelo menos no que diz respeito à brincadeira de Scottie Pippen. Outro dia, disse que Pippen foi um dos três maiores jogadores da história da NBA. Mas é importante frisar que não dá pra levar essa declaração muito a sério. Afinal, logo depois Malone disse que Jordan não faz parte do seu quinteto ideal, que, pra ele, conta com John Stockton, Oscar Robertson, Pippen, LeBron James e Wilt Chamberlain.

Segundo maior cestinha da história da NBA e o maior do Utah Jazz, duas vezes MVP, 14 participações no All Star Game, entre tantos outros números absolutamente impressionantes.
Karl Malone foi um dos grandes. Dos muito grandes.

The Mailman faz aniversário hoje. Gloriosos 51 anos. Vale a pena ver um highlights do cara. E se tiver tempo, ainda tem um belíssimo documentário da ESPN gringa sobre a carreira dele.

Segundo maior cestinha da história da NBA e o maior do Utah Jazz, duas vezes MVP, 14 participações no All Star Game, entre tantos outros números absolutamente impressionantes.

Karl Malone foi um dos grandes. Dos muito grandes.

The Mailman faz aniversário hoje. Gloriosos 51 anos. Vale a pena ver um highlights do cara. E se tiver tempo, ainda tem um belíssimo documentário da ESPN gringa sobre a carreira dele.

Kobe em 1996 fazendo 36 pts no Summer League, nota para a duns no 5:20 e para participação do Derek Fisher na armação

Parece que o Gigante adormecido Roy H. do pacers vai ganhar uma mãozinha do maior pontuado da história da NBA nesse verão. Vamos concordar que ele ta precisando!

Parece que o Gigante adormecido Roy H. do pacers vai ganhar uma mãozinha do maior pontuado da história da NBA nesse verão. Vamos concordar que ele ta precisando!

Vai, Brasil!

Vai, Brasil!

Loading more posts